O estudo da dança começa a proporcionar maior conhecimento das potências e capacidades do corpo, a paixão pelo movimento se torna intensa e a vontade de explorar novas possibilidades para mover o corpo aumenta. 

As danças geralmente são divididas em estilos. Eles são classificados dentro das chamadas modalidades. Conhecemos algumas delas como: Ballet clássico, Danças Urbanas, Dança Contemporânea, Dança de Salão, Dança moderna, Jazz Dance, Dança do Ventre, Dança Flamenca, mas existem muitas outras. 


Mas por que escolher mais de uma modalidade de dança? 

Para a aluna da Artisan Ballet, Larissa Toro, que pratica atualmente três modalidades diferentes - dança contemporânea, danças urbanas e jazz dance -, aprender mais de uma modalidade de dança é sinônimo de oportunidade: “Imagina fazer o que eu gosto em dobro? Saio com mais conhecimento, sabendo estilos diferentes, aproveitando e absorvendo essa experiência rica de dançar várias modalidades”.

Apesar de trazer benefícios parecidos como: bem-estar, consciência corporal, melhora da memória, melhora da coordenação motora, melhora do fortalecimento muscular, cada dança explora o corpo de uma maneira diferente e possui suas individualidades. Para a professora de Jazz Dance da Artisan Ballet, Evelyn Libanes, os maiores benefícios são: espontaneidade, vitalidade, maior energia, vontade de dançar no mercado quando a música está tocando, entre outros.


Em contraponto está a dança contemporânea que além de trabalhar o corpo físico e a mente, também explora movimentos autorais, desconstruções e descobertas de maneira a aumentar a conexão com o corpo.

A pessoa que pratica mais de uma modalidade aprende a explorar o corpo de diversas formas. Larissa Toro acredita que as modalidades são totalmente diferentes: “Cada uma cobra mais algo de você do que a outra e, mesmo assim, elas se completam. Gosto de saber essas diferenças e saber explorar cada uma”.